tenho um orgulho infinito na minha mana pequenina. fomos passear à feira do livro de lisboa, só nós as duas, numa das melhores manhãs do ano - não, de sempre! rimo-nos tanto, tanto, juntas, e vibrámos tanto com todos os livros maravilhosos que por lá vimos e que queríamos trazer connosco. ela continua a revelar-se esta pessoa maravilhosa, tão doce, tão conscienciosa e responsável. levei um caderninho onde ela foi apontando todos os livros fantásticos que vimos numa primeira volta à feira; depois, sem que fosse necessário incentivo algum, sentou-se, num tronco de árvore, a olhar a lista - uns trinta títulos -, apercebeu-se de que não poderia comprar tantos, e tratou de decidir aqueles que queria mesmo levar consigo. dei-lhe um abraço apertado. conversou comigo sobre os que adorava mesmo - uma modesta lista de seis - e perguntou, preocupada, se eram demasiados. tenho tanto orgulho na minha mana pequenina, tão doce, nada egoísta. fomos buscar esses seis e o ar de felicidade absoluta dela é uma das minhas melhores recordações, a forma como já não os largou e queria ler todos ao mesmo tempo, folheá-los, mostrar-me as coisas bonitas que ia encontrando. abraçou-me muito. rimos tanto, juntas. sou tão feliz com a minha princesa. 

- sílvia, nós gostamos tanto uma da outra. desde que eu era bebé!

meu grande amor pequenino. ♡

Sem comentários:

Enviar um comentário