sou uma pessoa de abraços, de abraços espontâneos e apertados e sentidos, e de dizer todas as coisas boas que sinto. de amizades profundas que se sentem e que procuro sempre pôr  (também) em palavras, porque acredito muito na importância das palavras. na minha família somos todos muito reservados; à excepção de mim e ds Diana, que sempre tivemos uma relação muito amorosa e doce e cheia de demonstrações sinceras disso mesmo, em casa dos meus pais raramente falamos de amor apesar de o amor estar lá; as suas demonstrações, apesar de mais que evidentes para nós, raramente são directas e isto entristece-me um pouco. quando tiver bebés, vamos ter uma casa cheia de abraços e demonstrações de amor e carinho espontâneas e muito muito sentidas. aliás: quero dizer que a nossa casa - minha e dele - é assim e vai ser sempre. é uma forma bela e tão feliz de viver.

Sem comentários:

Enviar um comentário