hoje, o meu dia começou com um incentivo ao amor. e não necessariamente ao amor romântico — ao amor sem adjectivos. ao amor por nós próprios (e quantas vezes não o esquecemos nós?), ao amor pelas nossas pessoas, ao amor, simplesmente. e eu adorei este pequeno momento de felicidade.
o meu calçado favorito de todos os tempos: decididamente, all star. e apesar de não me importar de ter um par de cada cor (ultimamente, ando a namorar os vermelhos e o azul-petróleo deslumbrante da colecção anterior), os meus favoritos — aqueles que gritam Sílvia! por todos os lados, que me fazem sentir super cool e muito, muito eu — são mesmo os pretos. são tão clássicos e tão simples mas tão giros, sinto-me logo mais eu quando os calço. para mim, e apesar de todas as modas recentes, no que toca a calçado informal nada de stan smiths, superstar ou nb engraçados. neste campo, a converse é dona do meu coração.
um amor chamado chá de frutos do bosque (da lipton!).

«calm and centered, long and strong»

domingos começaram também a ser sinónimo de lágrimas de felicidade. decidi começar a fazer uma espécie de yoga para principiantes (viva as resoluções de ano novo!), já que trabalha força (coisa que eu adoro) e flexibilidade (coisa em que muito preciso de trabalhar). a aula chama-se body balance e além das faixas de força e flexibilidade (em que ainda tenho muito, muito para evoluir!), termina com uma faixa de relaxamento que se tornou, em tempo recorde, um dos meus momentos favoritos da semana.

eu sou uma pessoa cujo cérebro nunca desliga. nunca! estou sempre a pensar em coisas, normalmente em muitas coisas; antes de adormecer, que é quando muitas pessoas aproveitam para tentar desligar e relaxar, eu continuo a pensar em coisas (gosto de adormecer enquanto desenrolo uma memória, por exemplo). e então fazia-me falta - sem que eu desse por isso - um momento para desligar. para não pensar em nada, para me concentrar em mim, no meu corpo, nas minhas sensações, na minha respiração. e a felicidade profunda que estes momentos me dão foi uma surpresa gigante para mim. eu nunca fiz meditação, não sou uma pessoa nada zen, estou sempre em movimento, quero sempre mais. parar para respirar, parar para relaxar, parar para sentir - nunca senti propriamente necessidade de alguma destas coisas... até de facto experimentar fazê-las e sentir o impacto profundo que isso tem em mim.

no final desses momentos,, que acabam sempre depressa demais, sinto-me tão em paz comigo, tão em paz com o mundo, tão profundamente feliz. nunca, nunca imaginei vir a sentir-me assim, especialmente numa aula no ginásio (e que isto me sirva de lição, para quando hesitar em experimentar coisas novas!), e a alegria e gratidão que agora preenchem as minhas manhãs de domingo são uma dádiva preciosa. e graças a elas eu sou mais feliz.

(à uma da manhã, decido ser girly)

o casamento de uma amiga próxima vai ser este ano, em setembro (logo no melhor mês do ano). mal posso esperar pelo casamento em si (adoro casamentos) e... mal posso esperar por ir ver vestidos - para ela e para mim, que todas as desculpas são boas para deslumbrar e eu adoro poder dress up como gente grande! :)
hoje, cheia de imprudência e falta de bom senso, saí de casa com os tornozelos a descoberto e voltei a casa (às nove da noite) com os tornozelos a descoberto. sim, passei frio. sim, valeu a pena só pelos olhares de horror que despoletei nas pessoas. a sério, tivesse eu um euro por cada pessoa que olhou para mim e fechou melhor o casaco e tinha ido jantar fora esta noite. (mesmo de tornozelos ao frio!)
uma das coisas que mais gosto na minha agenda da mr. wonderful (e gosto de tantas!) são as mini frases queridas e inspiradoras que nos acompanham a cada dia útil de uma nova semana. são coisas que, por vezes, precisamos de relembrar - ou, pelo menos, que eu preciso de relembrar. a de hoje: Deixemos que a vida nos surpreenda. há uns dias, lembrava-me que hoje vai correr tudo bem. e eu adoro estes pequenos mimos, que por vezes me fazem voltar a pôr a vida em perspectiva, concentrar-me no que é importante e acreditar que vou conseguir.